Loading...

Tipo: Eventos

Oficina Cultura das Artes Visuais

Público
Famílias com crianças a partir dos 8 anos

Ingresso
2 euros por pessoa

Inscrição
se@mnsr.dgpc.pt

Duração
2 Horas

28 abril (domingo), 10h30/12h30

 

O mundo em que vivemos é rico em referências visuais de todas as categorias, o que nos torna seres essencialmente visuais. Desde a publicidade ao design (sobretudo digital), a cultura visual tem um papel fundamental na forma como compreendemos e experienciamos a nossa realidade.

 

Este workshop, orientado por Salomé Carvalho e Filipe Fernandes, pretende explorar estes conceitos, partindo da História das Artes Visuais e dos principais fatores e momentos que marcam as referências partilhadas por toda a cultura ocidental.

Curso de Aguarela

Data
Dias 17, 18 e 19 maio

 

Horário
Das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 17h30

 

Preço
180 Euros (+ materiais)

 

Mais informações e Inscrições: se@mnsr.dgpc.pt

Até 3 maio está a decorrer o período de inscrições para o Curso de Aguarela com Luis Cámara, a realizar nos dias 17, 18 e 19 maio, no Museu Nacional Soares dos Reis.

 

Economista de profissão, Luis Cámara estudou com grandes aguarelistas espanhóis, sendo membro da Associação Espanhola de Aguarelas.

Os seus trabalhos foram já apresentados em inúmeras exposições de aguarela realizadas em diversos países: Albânia, Eslovénia, França, Chile, China, Itália, Índia, Japão, México, Portugal, Rússia, Espanha.

Luis Cámara trabalha como professor de aguarela em Madrid, onde vive e tem o seu atelier, promovendo igualmente vários cursos online. É um dos sócios fundadores da Plataforma Online de Ensino de Aguarela.

Atividades AMNSR | Maio

Calendário de Atividades
Exclusivo para Sócios

do Círculo Dr. José Figueiredo
Amigos do Museu Nacional Soares dos Reis

 

Inscrições aqui

Visita Orientada ‘Recordações do Grand Tour’
4 maio, 11h00, sábado

Grand Tour designa a viagem empreendida por jovens aristocratas pela Europa, tendo como destino principal a Itália. O costume, com raízes no século XVII, tornou-se muito popular no século XVIII e XIX e tomou a forma de um rito de passagem para a idade adulta. Esta grande viagem (poderia durar meses ou anos) tinha itinerários estandardizados que visavam expor o “turista” à experiência da cultura clássica e renascentista. O desejo de recolher recordações de viagem é muito mais antigo que as máquinas fotográficas e as lojas de “souvenirs” pelo que nas coleções dos museus facilmente encontramos objetos que os “Grand Tourists” traziam consigo como meio de preservar e celebrar a memória das maravilhas visitadas.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Ana Paula Machado

 

Visita Orientada Pintura de costumes e natureza-morta
11 maio, 11h00, sábado

Percurso através da pintura de costumes e alguns temas de natureza-morta, historicamente considerados entre os melhores quadros dos Museus do Porto.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Paula Santos Triães

 

Visita Orientada Ao encontro do ensino artístico do Porto nas coleções do Museu
18 maio, 11h00, sábado

Uma visita que pretende dar a conhecer alguns aspetos da história do Ensino Artístico a partir das coleções do Museu, identificando as várias gerações de artísticas. Falar do ensino artístico no Porto implica fazer uma viagem no tempo que se inicia século XVIII com a criação da Aula de Debuxo e Desenho, passando pela Aula de Desenho da Academia Real de Marinha e Comércio, dirigida por Vieira Portuense, até à criação da Academia Portuense de Belas-Artes, mais tarde Escola Superior de Belas-Artes.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Liliana Aguiar

 

Visita Orientada Belo e útil: como, quando e onde se usavam? Objetos de artes decorativas contam-nos as suas histórias
25 maio, 11h00, sábado

Objetos de artes decorativas da Exposição de Longa Duração permitem encontrar vivências e práticas de sociedades que criaram e embelezaram objetos do seu quotidiano.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Paula Oliveira

Faça parte dos Amigos do Museu

Beneficie de vantagens exclusivas. Saiba mais aqui.

Oficinas | Maio

Oficina Estamparia criativa com quadros
3 maio (sexta), 10h30/13h00

Público-alvo | Geral
Entrada | 30 Euros/participante (material incluído)
Oficina | Orientada por Isabel Guimarães
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Estamparia designa de forma genérica diferentes procedimentos que têm como finalidade produzir desenhos na superfície de um tecido. Nesta oficina, orientada por Isabel Guimarães, serão abordados, os princípios da estamparia manual, visando a reinterpretação criativa de elementos figurativos do Museu Nacional Soares dos Reis. Os participantes terão a oportunidade de criar os seus próprios estampados a partir das várias técnicas criativas e levar para casa os seus trabalhos.

 

Oficina Cria o teu block print e estampa o teu desenho
5 maio (domingo), 10h30/12h30

Público-alvo | Famílias
Entrada | 30 Euros/participante (material incluído)
Oficina | Orientada por Isabel Guimarães
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Oficina de iniciação ao block print, por Isabel Guimarães, tendo como objetivo a reinterpretação criativa de elementos pictóricos da cerâmica da Fábrica de Miragaia. Nesta oficina serão abordados os princípios da estamparia, nomeadamente com a aprendizagem da técnica de adaptação de desenhos em block prints, esculpidos em linóleo com goivas, para posterior estampagem sobre tecido. Este processo de impressão de padrões com blocos de madeira gravados já existia na Índia no século IV a.C.

 

Oficina Cadernos de Primavera
12 maio (domingo), 10h30/12h00

Público-alvo | Famílias com crianças dos 5 aos 12 anos
Entrada | 3 euros por pessoa (gratuito para crianças até aos 12 anos)
Oficina | Orientada por Jorge Coutinho
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Partindo da observação de algumas obras do Naturalismo e visita ao espaço exterior (Jardim do Velódromo Rainha D. Amélia e Jardim das Camélias) iremos, em família, fazer um pequeno caderno onde se registam e colecionam desenhos, fotografias, palavras ou textos de uma forma criativa e divertida, explorando e colecionando registos desta estação do ano tão especial.

 

Oficina À noite no Museu
18 maio (sábado), 20h30/22h00

Público-alvo | Famílias com crianças dos 6 anos
Entrada
| Gratuita
Oficina
| Orientada por Jorge Coutinho e Liliana Aguiar
Inscrições
| se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Antigamente, o tempo era medido através dos ciclos do sol, da lua e das estrelas. Mais tarde, surgiram novas formas de medir o tempo através do relógio de sol e do relógio mecânico. Será que à noite no Museu encontraremos estas máquinas de medir o tempo? Esta oficina parte da exploração das obras e dos diferentes espaços do museu para se construir uma nova versão para contar o tempo, imortalizando-o.

 

Oficina Aguarela pela primeira vez
19 maio (domingo), 10h30/12h30

Público-alvo | Famílias
Entrada | Gratuita
Oficina | Orientada por Paula Azeredo
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

No Museu Nacional Soares dos Reis, observar atentamente obras de desenho, pintura a óleo e a aguarela vai desafiar-nos a experimentar a técnica da aguarela. Ao ar livre (ou na oficina, se chover) ensaiamos efeitos de aguadas coloridas sobre papel seco e sobre papel húmido. Uma iniciação aberta à liberdade e à transgressão próprias da prática artística, a somar às experiências vividas em família.

 

Oficina Técnicas de produção artística – pintura
26 maio (domingo), 10h30/12h30

Público-alvo | Famílias com crianças a partir dos 8 anos
Entrada | Gratuita
Oficina | Orientada por Salomé Carvalho e Filipe Fernandes
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Criar arte gera um fascínio muito particular na maioria das pessoas. A produção artística de pintura envolve muitos fatores, desde a tão misteriosa inspiração, até aos materiais e técnicas necessárias. Pintar requer, sobretudo, muito treino e experimentação, até ser possível ao artista encontrar o seu estilo pessoal, a sua voz artística. Conhecer a componente técnica é um passo essencial para a compreensão e domínio desta tipologia artística tão conhecida.

Visitas | Maio

Público
Jovens e adultos

Duração
50 minutos

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Visita Orientada Um Palácio onde não nos perdemos. A arquitetura e o gosto ao antigo

3 maio (sexta), 11h00
Público-alvo | Geral
Preço | Bilhete de Entrada no Museu


O visitante é desafiado a explorar a arquitetura do edifício onde está instalado o Museu Nacional Soares dos Reis desde 1940. Numa comparação feita com outros edifícios e outras funcionalidades, será possível compreender a planta do Palácio dos Carrancas.

 

 

Visita Incógnita

5 maio (domingo), 11h00
Público-alvo | Geral
Preço | Gratuita


O Museu Nacional Soares dos Reis promove mensalmente uma visita orientada incógnita para o seu público. Esta visita, cujo tema será sempre uma incógnita até ao dia e hora da sua realização, pretende explorar com os participantes outras narrativas presentes nas obras das suas coleções.

 

 

Visita Orientada O imaginário rural na pintura e na literatura portuguesas no século XIX

31 maio (sexta), 15h00
Público-alvo | Geral
Preço | Bilhete de Entrada no Museu

 

A paisagem nacional portuguesa desenvolveu-se dentro da pintura de costumes e da literatura do romantismo, alcançando a sua máxima expressão com Silva Porto, Almeida Garrett e, posteriormente, com José Malhoa. Dos costumes rurais de Roquemont, passando pelo pitoresco de Silva Porto e Ramalho Ortigão e culminando no portuguesismo de José Malhoa, o percurso da visita remete para a pintura e literatura que, na transição para o século XX, consagrou a designada pax rústica.

Oficina Mundo de Cartão

Público
Famílias com crianças a partir dos 4 anos

Ingresso
15 euros por criança (gratuito para os acompanhantes)

Inscrição
se@mnsr.dgpc.pt

Duração
2,5 Horas

14 abril (domingo), 10h30/13h00

 

Oficina orientada por Filipa Mesquita | Teatro e Marionetas de Mandrágora

 

A marioneta, que é frequentemente associada à infância, faz parte do nosso imaginário e da nossa história, memória e tradição. Esta forma de arte é inesgotável nas experiências artísticas e cénicas, de criação e manipulação, renovando-se e trazendo-a para o palco.

 

Orientada por Filipa Mesquita, do Teatro e Marionetas Mandrágora, o desafio desta oficina, é criar uma marioneta usando os desperdícios do quotidiano como material.

Conversa ‘Mulheres, Liberdade e Transgressões’

Público
Jovens e Adultos

Ingresso
Gratuito

Inscrição
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Duração
2 Horas

Conversa ‘Mulheres, Liberdade e Transgressões’
14 abril, 10h30

Organização: Secção da Mulher da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental

 

A conversa visa evocar o Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de março, ao mesmo tempo que se associa às comemorações dos 50 Anos do 25 de abril, criando um momento de discussão e partilha sobre os desafios e as conquistas das mulheres na sociedade portuguesa e no mundo.

 

A tertúlia contará com a participação de quatro mulheres, com trabalho desenvolvido em áreas relacionadas com as Mulheres: Joana Ramos, Psiquiatra; Carla Cerqueira, Doutorada em Ciências da Comunicação – especialização em Psicologia da Comunicação pela Universidade do Minho; Vera Silva, Antropóloga da Universidade de Coimbra; Irina Gorgal Carvalho, sexóloga da ULS Santo António.

 

A moderação estará a cargo de Ana Silva Pinto e Ana Matos Pires, da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental.

Visita Guiada à Exposição Teresa Gonçalves Lobo e Domingos Sequeira

Visita Guiada à Exposição Teresa Gonçalves Lobo e Domingos Sequeira: um diálogo no tempo

Dia 6 abril, 16h00

Participação gratuita

Entrada livre

No âmbito da Exposição «Teresa Gonçalves Lobo e Domingos Sequeira: um diálogo no tempo», o Museu Nacional Soares dos Reis promove, no dia 6 abril, pelas 16 horas, uma visita guiada pela artista Teresa Gonçalves Lobo.

 

A mostra coloca em diálogo a nova exposição de desenhos de Teresa Gonçalves Lobo com obras de Domingos Sequeira, o grande artista português da transição do século XVIII para XIX.

 

No diálogo que sustenta esta exposição, percebe-se como uma semelhante aproximação ao desenho e ao modo do riscar, acontece nas obras destes dois artistas apesar da longa distância no tempo que os separa, mas cujo propósito de fazer nascer a forma desse uso do risco os aproxima.

Oficina Criação de Aguarelas Líquidas

Público
Geral

Ingresso
30 euros por pessoa (todo o material incluído)

Inscrição
se@mnsr.dgpc.pt

Duração
2,5 Horas

Oficina ‘Criação de Aguarelas Líquidas com Ingredientes da Natureza’

5 abril (sexta), 10h30/13h00

 

Nesta oficina vamos dar a conhecer a origem dos materiais e das cores usadas pelos grandes mestres da pintura, ao longo da história. Criar aguarelas a partir de elementos naturais tais como folhas, flores, raízes, legumes, cascas, grãos e sementes, permitindo uma conexão direta com a natureza.

 

Serão abordados os princípios fundamentais da extração da cor, através de processos artesanais e sustentáveis. Aprender a utilizar mordentes e também a alterar o PH das tintas para obter uma paleta cromática de cores mais ampla. Será também apresentado o uso de aglutinantes e como conservar as aguarelas líquidas de forma que perdurem mais no tempo.

 

Os participantes irão pintar a sua própria paleta em papel de aguarela e tirar partido dos efeitos do uso dos modificadores de cor.

Oficina Cadernos de Primavera

Público
Famílias com crianças dos 5 aos 12 anos

Ingresso
3 euros por pessoa (gratuito para crianças até aos 12 anos)

Inscrição
se@mnsr.dgpc.pt

Duração
2 Horas

7 abril (domingo), 10h30/12h30

 

Oficina orientada pelo Serviço de Educação, Jorge Coutinho

 

Partindo da observação de algumas obras do Naturalismo e visita ao espaço exterior (Jardim do Velódromo Rainha D. Amélia e Jardim das Camélias) iremos, em família, fazer um pequeno caderno onde se registam e colecionam desenhos, fotografias, palavras ou textos de uma forma criativa e divertida, explorando e colecionando registos desta estação do ano tão especial.

Atividades AMNSR | Abril

Calendário de Atividades
Exclusivo para Sócios

do Círculo Dr. José Figueiredo
Amigos do Museu Nacional Soares dos Reis

 

Inscrições aqui

Visita Orientada Artistas mulheres, poesia e liberdade
6 abril, 11h00, sábado

Para as artistas representadas na exposição de longa duração do MNSR, ser mulher não foi uma condição limitadora à sua afirmação e reconhecimento num mundo de domínio maioritariamente masculino. As obras, vivências e percursos destas artistas, nascidas entre os séculos XVII e XX, são o ponto de partida para uma visita que se completa com poesia assinada por mulheres que viveram na mesma época, em circunstâncias similares.
A partir da contemplação de peças de Josefa d’Óbidos, Francisca de Almeida Furtado, Maria da Glória Ribeiro, Sofia e Aurélia de Souza, Sarah Afonso e Irene Vilar e das circunstâncias em que trabalharam, faz-se a ligação a poetas como Soror Maria do Céu, Antónia Pusich, Marta Câmara, Judith Teixeira, Maria O’Neil, Maria Osswald e Sophia de Mello Breyner.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Ana Magalhães e Liliana Aguiar

 

Visita Orientada A pintura de paisagem e o Naturalismo
13 abril, 11h00, sábado

Visita que permitirá explorar o nascimento e desenvolvimento do movimento naturalista em Portugal, bem como as diferentes abordagens à pintura de paisagem na obra de alguns naturalistas da escola do Porto.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Ana Nascimento

 

Visita Orientada À procura da beleza
20 abril, 11h00, sábado

Vamos descobrir os objetos das coleções do Museu Nacional Soares dos Reis que desafiam a nossa sensibilidade e entendimento. Num processo exploratório, envolvemo-nos a contemplar, comparar, nomear, descrever, dar sentido… e a criar novas imagens para revisitar a beleza do momento no Museu.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Paula Azeredo

 

Visita Orientada O imaginário rural na pintura portuguesa
27 abril, 11h00, sábado

A paisagem nacional portuguesa desenvolveu-se dentro da pintura de costumes e alcançou a sua máxima expressão com Silva Porto e, posteriormente, com José Malhoa. Dos costumes rurais de Roquemont, ao pitoresco de Silva Porto e José Júlio de Sousa Pinto, dos temas de índole etnográfica inseridos na paisagem de Henrique Pousão ao portuguesismo de Malhoa, o percurso da visita remete para a pintura que, na transição para o século XX, consagrou a designada pax rustica.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Liliana Aguiar

Faça parte dos Amigos do Museu

Beneficie de vantagens exclusivas. Saiba mais aqui.

Visitas Orientadas à Exposição Paisagem

Visitas Orientadas à Exposição Paisagem

12 e 26 abril, 18h00

 

Público
Jovens e adultos

Duração
50 minutos

Entrada
Gratuita

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Com curadoria de Rui Pinheiro, a exposição Paisagem apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra, por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX.

 

Nos próximos dias 12 e 26 abril, pelas 18 horas, serão realizadas visitas a esta exposição, orientadas pelo curador Rui Pinheiro e por Maria Carneiro (familiar de José Zagalo Ilharco), respetivamente. Inscrições a decorrer.

Oficinas | Abril

Oficina Cadernos de Primavera
7 abril (domingo), 10h30/12h30

Público-alvo | Famílias com crianças dos 5 aos 12 anos
Entrada | 3 euros por pessoa (gratuito para crianças até aos 12 anos)
Oficina | Orientada por Jorge Coutinho
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Partindo da observação de algumas obras do Naturalismo e visita ao espaço exterior (Jardim do Velódromo Rainha D. Amélia e Jardim das Camélias) iremos, em família, fazer um pequeno caderno onde se registam e colecionam desenhos, fotografias, palavras ou textos de uma forma criativa e divertida, explorando e colecionando registos desta estação do ano tão especial.

 

Oficina Mundo de cartão
14 abril (domingo), 10h30/13h00

Público-alvo | Famílias com crianças a partir dos 4 anos
Entrada | 15 euros por criança (gratuito para os acompanhantes)
Oficina | Orientada por Filipa Mesquita, do Teatro e Marionetas Mandrágora
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

A marioneta, que é frequentemente associada à infância, faz parte do nosso imaginário e da nossa história, memória e tradição. Esta forma de arte é inesgotável nas experiências artísticas e cénicas, de criação e manipulação, renovando-se e trazendo-a para o palco. Orientada por Filipa Mesquita, do Teatro e Marionetas Mandrágora, o desafio desta oficina, é criar uma marioneta usando como material, os desperdícios do quotidiano.

 

Oficina À procura da beleza
21 abril (domingo), 10h30/12h30

Público-alvo | Famílias
Entrada | Gratuita
Oficina | Orientada por Paula Azeredo
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Nesta oficina vamos descobrir os objetos das coleções do Museu Nacional Soares dos Reis que desafiam a nossa sensibilidade e entendimento. Num processo exploratório, envolvemo-nos a contemplar, comparar, nomear, descrever, dar sentido… e a criar novas imagens para revisitar a beleza do momento no Museu.

 

Oficina Cultura das artes visuais para famílias
28 abril (domingo), 10h30/12h30

Público-alvo | Famílias com crianças a partir dos 8 anos
Entrada | 2 Euros
Oficina | Orientada por Salomé Carvalho e Filipe Fernandes
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

O mundo em que vivemos é rico em referências visuais de todas as categorias, o que nos torna seres essencialmente visuais. Desde a publicidade ao design (sobretudo digital), a cultura visual tem um papel fundamental na forma como compreendemos e experienciamos a nossa realidade. Este workshop, orientado por Salomé Carvalho e Filipe Fernandes, pretende explorar estes conceitos, partindo da História das Artes Visuais e dos principais fatores e momentos que marcam as referências partilhadas por toda a cultura ocidental.

 

Oficina Ao domingo pintamos flores azuis no jardim do Museu
28 abril (domingo), 15h00/16h30

Público-alvo | Famílias com crianças a partir dos 8 anos
Entrada | 20 Euros
Oficina | Orientada por Joana Padilha
Inscrições | se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Nesta oficina, orientada por Joana Padilha, serão executados exercícios de mancha e cor azul, na técnica de aguarela, e molhado sobre molhado, e velaturas. Partindo da exploração dos motivos florais da cerâmica da Fábrica de Miragaia, serão recolhidos alguns elementos naturais, tais como flores, ramos e folhas pelos participantes, que representarão posteriormente, em exercícios mais rápidos ou lentos, mais expressivos ou representativos, tirando partido do potencial do material em questão: aguarela e ecoline.

Visitas | Abril

Público
Jovens e adultos

Duração
50 minutos

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Visita Orientada Ao encontro do Oriente
4 abril (quinta), 15h00
Público-alvo | Geral
Preço | Bilhete de Entrada no Museu

A visita permitirá observar objetos que narram o fascínio do encontro entre portugueses e diferentes culturas milenares do Oriente, num processo de encantamento que permaneceu para além das grandes viagens de quinhentos, como revelam obras barrocas do século XVIII designadas por “Chinoiserie”.

 

Visita Incógnita
7 abril (domingo), 11h00
Público-alvo | Geral
Entrada | Gratuita

O Museu Nacional Soares dos Reis promove, mensalmente, uma visita orientada com tema incógnito. Os participantes são desafiados a explorar o Museu e as suas coleções, descobrindo outras narrativas e outros espaços. Este mês, a ‘Visita Incógnita’ está agendada para o próximo dia 7 abril, pelas 11 horas, sendo orientada pela gestora de coleção Adelaide Carvalho.

 

Visita Orientada à Exposição «Paisagem»
12 abril (sexta), 18h00
Público-alvo | Geral
Entrada | Gratuita

A exposição apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra, por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX. Esta visita será orientada por Rui Pinheiro.

 

Visita Orientada O Palácio dos Carrancas: do “Pompozo edeficio” dos Morais e Castro a Paço Real
18 abril (quinta), 15h00
Público-alvo | Geral
Entrada | Gratuita

No Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, destacamos o edifício do Palácio dos Carrancas, onde está instalado o Museu Nacional Soares dos Reis, a sua qualificada e inovadora arquitetura em estilo neoclássico e a sua história. O edifício foi palco de grandes acontecimentos na cidade na 1ª metade do século XIX, como as Invasões Francesas e o Cerco do Porto, e a partir de 1861 foi a residência da família real no Porto.

 

Visita Orientada ‘Henrique Pousão. Do Porto à luz do mediterrâneo’
26 abril (sexta), 15h00
Público-alvo | Geral
Preço | Bilhete de Entrada no Museu

Henrique Pousão desde cedo mostrou a sua aptidão para as artes, nomeadamente em retratos a lápis. A sua mudança para o norte, mais propriamente para Barcelos, aproximou-o ainda mais do percurso que viria a iniciar com a inscrição na Academia Portuense de Belas Artes em 1872. Um percurso marcado por viagens que deixou impressas e por uma obra ímpar marcada pelo interesse absoluto dos valores da pintura em si e não dos temas ou da narrativa. Um convite a uma viagem à vida e obra de um artista que se sagrou como pintor da primeira geração naturalista.

 

Visita Orientada à Exposição «Paisagem»
26 abril (sexta), 18h00
Público-alvo | Geral
Entrada | Gratuita

A exposição apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra, por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX. Esta visita será orientada por Maria Carneiro.

Visita ‘Artistas Mulheres, Poesia e Liberdade’

Público
Geral (maiores de 12 anos)

Entrada
Gratuita

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Visita Orientada Artistas mulheres, poesia e liberdade
21 março (quinta), 15h00

 

Para as artistas representadas na exposição de longa duração do Museu Nacional Soares dos Reis, ser mulher não foi uma condição limitadora à sua afirmação e reconhecimento num mundo de domínio maioritariamente masculino.

 

As obras, vivências e percursos destas artistas, nascidas entre os séculos XVII e XX, são o ponto de partida para uma visita que se completa com poesia (neste seu Dia Mundial) assinada por mulheres que viveram na mesma época, em circunstâncias similares.

 

A partir da contemplação de peças de Josefa d’Óbidos, Francisca de Almeida Furtado, Maria da Glória Ribeiro, Sofia e Aurélia de Souza, Sarah Afonso e Irene Vilar e das circunstâncias em que trabalharam, faz-se a ligação a poetas como Soror Maria do Céu, Antónia Pusich, Marta Câmara, Judith Teixeira, Maria O’Neil, Maria Osswald e Sophia de Mello Breyner.

Concerto do Ciclo ‘Viagem a Portugal’

Concerto do Ciclo ‘Viagem a Portugal’
pelo Síntese – Grupo de Música Contemporânea

23 março, 16h00

 

Público
Jovens e adultos

Entrada
Gratuita

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

O Síntese – Grupo de Música Contemporânea apresenta, no Museu Nacional Soares dos Reis, um programa inteiramente dedicado à celebração da literatura portuguesa associada à música contemporânea.

 

O programa reúne obras dos compositores Paulo Bastos, Carlos Guedes, Sofia Sousa Rocha e João Delgado, encomendadas em 2023, e estreadas no 17º Festival Síntese, inspiradas na poesia de Eugénio de Andrade.

 

Direção musical a cargo do maestro Yan Mikirtumov.

Visitas Orientadas à Exposição Paisagem

Visitas Orientadas à Exposição Paisagem

8 e 15 março, 11h00

 

Público
Jovens e adultos

Duração
50 minutos

Entrada
Gratuita

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Com curadoria de Rui Pinheiro, a exposição Paisagem apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra, por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX.

 

Nos próximos dias 8 e 15 março, pelas 11 horas, serão realizadas visitas a esta exposição, orientadas pelo curador Rui Pinheiro e por Maria Carneiro (familiar de José Zagalo Ilharco), respetivamente. Inscrições a decorrer.

Especial Férias da Páscoa

De 28 de março a 5 abril, coincidindo com as férias escolares da Páscoa, o Museu Nacional Soares dos Reis promove várias oficinas, para crianças e adolescentes.

 

As oficinas serão orientadas por Joana Padilha, designer, professora e orientadora de cursos de iniciação ao desenho e pintura, Isabel Guimarães, artista plástica e designer têxtil, e Jorge Coutinho, do Serviço de Educação do Museu.

 

Da aguarela à estamparia, passando pela pintura em acrílico e colagem, e pela gravação em alto e baixo-relevo em diferentes materiais, as oficinas inspiram-se na exposição de longa duração do Museu Nacional Soares dos Reis, na cidade do Porto e na temática alusiva à Páscoa. Inscrições a decorrer através do email se@mnsr.dgpc.pt.

Oficina de cartão-postal
Dia 28 março, quinta, 14h30/17h30
Orientador Jorge Coutinho

Todos os dias vários materiais são considerados inúteis e colocados no lixo, mas existem vários caminhos que cada um de nós pode trilhar para encontrar soluções para este problema. A reutilização é um desses caminhos e significa utilizar um produto dando-lhe uma nova função. Cabe a cada um de nós diminuir, a cada dia, a nossa pegada ecológica. Nesta oficina, partindo da obra Coelhos de Artur Loureiro, propomos apelar à criatividade para criar um cartão-postal a partir da reutilização de uma lata de refrigerante… ou parte dela.

Público-alvo: crianças a partir dos 6 anos e adolescentes

Valor: 5€ por participante (material incluído: latas, cartão, cartolina, cola)

N.º de participantes: mínimo 4 / máximo 10

 

 

Oficina de pintura em aguarela ‘I love rabbits’
Dia 2 abril, terça, 15h30/18h00
Orientadora Joana Padilha

Esta oficina irá iniciar com uma visita a algumas obras em aguarela da Exposição de Longa Duração do Museu Nacional Soares dos Reis para que os participantes tenham o primeiro contacto com as caraterísticas plásticas desta técnica.

Serão entregues aos participantes, imagens várias, ilustrativas do tema, a partir das quais poderão criar outras composições ou representações figurativas. A técnica da aguarela será a base dos exercícios a serem desenvolvidos durante a oficina, trabalhando-se assim com mancha, molhado sobre molhado, molhado sobre seco e velaturas. Serão executados exercícios de mancha e cor azul, na técnica de aguarela, e molhado sobre molhado, e velaturas.

Público-alvo: Crianças a partir dos 6 anos e adolescentes

Valor: 30€ por participante (material incluído: papel de aguarela, papel para esboço, lápis, borracha e afia, fita cola, aguarelas, pincéis, copo, papel absorvente)

N.º de participantes: mínimo 4 / máximo 10

 

 

Oficina ‘Estampa desenhos do Museu!’
Dia 3 abril, quarta, 15h30/18h00
Orientadora Isabel Guimarães

Oficina de estamparia a quadro, tendo como objetivo a reinterpretação criativa de elementos figurativos do Museu Nacional Soares dos Reis. Nesta oficina iremos estampar desenhos gravados em quadros de estamparia e explorar o potencial da estamparia, com quadros não gravados, usando várias técnicas, como o stencil. Serão utilizadas tintas de estamparia à base de água e algumas tintas que irão surpreender-nos com efeitos especiais.

Os participantes terão a oportunidade de criar os seus próprios estampados a partir das várias técnicas criativas e levar para casa o produto final.

Público-alvo: Crianças a partir dos 6 anos e adolescentes

Valor: 30€ por participante (material incluído: (quadros de estamparia, paletes, raclas, tecidos, pastas de estampar, secadores, cola spray, fita cola dupla, stencil, canetas para stencil, tesouras, canetas têxteis, etc.)

N.º de participantes: mínimo 5 / máximo 10

 

 

Oficina Block print: desenhos do Porto no teu tote bag!
Dia 4 abril, quinta, 15h30/18h00
Orientadora Isabel Guimarães

Oficina de block print, tendo como objetivo a reinterpretação criativa de elementos figurativos caraterísticos do Porto, em particular na área circundante ao Museu Nacional Soares dos Reis. Nesta oficina serão abordados, os princípios da estamparia. Iremos aprender a estampar com block print sobre tecido. Os participantes terão a oportunidade de explorar a estampagem em vários tecidos e estampar o seu próprio tote bag que levarão para casa.

Block print é o processo de impressão de padrões em blocos de madeira gravados. Vários blocos de madeira são gravados (um por cor) com o desenho e depois mergulhados em tinta e aplicado no tecido (semelhante a um carimbo). É o mais antigo, mais simples e mais lento de todos os métodos de impressão têxtil.

Público-alvo: Crianças a partir dos 6 anos e adolescentes

Valor: 30€ por participante (material incluído: tote bag, madeira, linóleo, lápis, cola, tecidos, tintas, secadores, cola spray, tesouras, canetas têxteis, etc.)

N.º de participantes: mínimo 5 / máximo 10

 

 

Oficina de acrílico e colagem ‘Aurélia de Sousa: o retrato’
Dia 5 abril, sexta, 15h30/18h00
Orientadora Joana Padilha

Esta oficina irá iniciar com uma apresentação de imagens de algumas obras da artista Aurélia de Souza, da Exposição de Longa Duração do Museu Nacional Soares dos Reis, para que os participantes observem e registem visualmente alguns detalhes relativos ao retrato em pintura.

Serão entregues aos participantes, partes de imagens várias, relativas às obras de Aurélia de Souza, a partir das quais poderão criar outras composições, utilizando a técnica da colagem e pintando também com tinta acrílica para tornar a composição mais rica. A criatividade é o mote, já que a técnica da colagem e pintura a acrílico serão trabalhadas de uma forma livre e expressiva.

Público-alvo: Crianças a partir dos 6 anos e adolescentes

Valor: 30€ por participante (material incluído: papel, lápis, borracha e afia, fita cola, cola, tesoura, tintas acrílicas, pincéis, copo, papel absorvente. Impressão a cores de imagens de obras existentes no Museu)

N.º de participantes: mínimo 4 / máximo 10

Atividades AMNSR | Março

Calendário de Atividades
Exclusivo para Sócios

do Círculo Dr. José Figueiredo
Amigos do Museu Nacional Soares dos Reis

 

Inscrições aqui

Curso livre “A Art Déco e as suas múltiplas expressões”
6, 13 e 20 mar, 18h30/19h30

Curso lecionado pelo Prof. Doutor Gonçalo Vasconcelos e Sousa, Professor Catedrático da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa.

 

Visita Orientada Serviço de Documentação e Informação – reestruturação em curso
2 mar, 11h00, sábado

A Biblioteca e o Arquivo do Museu Nacional Soares dos Reis dispõem de um espólio muito diverso, sendo a sua principal missão gerir e fornecer a informação necessária à atividade do museu e à investigação académica. Nesta visita, damos a conhecer o projeto – atualmente em curso – de remodelação dos serviços: os espaços, o acervo, os fundos documentais, a sua organização, arrumação e tratamento.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Teresa Pinheiro Torres
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

 

Visita Orientada Uma casa incomum – a Casa-Museu Fernando de Castro
9 mar, 11h00, sábado

A Casa-Museu Fernando de Castro foi a residência de uma família de colecionadores dedicados às artes ornamentais, torêutica, escultura e pintura. Coube à última herdeira, Maria da Luz de Araújo Castro, fazer a doação ao Estado do imóvel e recheio cumprindo postumamente o desejo do seu irmão, Fernando de Castro, em fundar um museu público. Por decreto de 15 de dezembro de 1951 foi classificada a CMFC como anexo do Museu Nacional de Soares dos Reis. A decoração interior da Casa-Museu é dominada por um ambiente revivalista, onde sobressai o trabalho da talha e grande profusão de arte sacra transmitindo ao espaço um certo espírito de antiquário, em acerto de gosto com o culto dos estilos nacionais e das antiguidades nos finais do século XIX.

Local Casa-Museu Fernando de Castro
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Ana Mântua
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

 

Visita Orientada Uma casa onde não nos perdemos
16 mar, 11h00, sábado

O visitante é desafiado a explorar a arquitetura do edifício onde está instalado o Museu Nacional Soares dos Reis desde 1940. Numa comparação feita com outros edifícios e outras funcionalidades, será possível compreender a planta do Palácio dos Carrancas, mandado construir em 1795 pela família burguesa Morais e Castro. A partir de uma dupla visão de fora para dentro e de dentro para fora, o visitante percorre múltiplos espaços e toma consciência das formas e módulos que estão na base do pensamento neoclássico.

Local Museu Nacional Soares dos Reis
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Paula Azeredo
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

Faça parte dos Amigos do Museu

Beneficie de vantagens exclusivas. Saiba mais aqui.

Oficinas | Março

Oficina Pigmentos e Ciência da cor
3 março (domingo), 10h30

Público | Famílias com crianças e adolescentes a partir dos 12 anos
Preço | 2 Euros/pessoa
Oficina orientada pelo Serviço de Conservação e Restauro
Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

A história da utilização da cor está intimamente relacionada com a história dos pigmentos naturais e artificiais. A cor em si é mais do que pigmento, pode ser cor luz, perceção, soma ou subtração de radiação. Trata-se de uma matéria de estudo muito interessante, quer para a compreensão da nossa perceção do mundo, quer para o entendimento da produção artística. Os pigmentos dizem muito sobre uma obra de arte, e convidamo-lo a descobrir connosco todos os mistérios que esta matéria pictórica esconde.

 

Oficina À procura da beleza
17 março (domingo), 10h30

Público | Famílias (todas as idades)
Preço | Gratuita
Oficina orientada pelo Serviço de Educação
Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

Nesta oficina vamos descobrir os objetos das coleções do Museu Nacional Soares dos Reis que desafiam a nossa sensibilidade e entendimento. Num processo exploratório, envolvemo-nos a contemplar, comparar, nomear, descrever, dar sentido… e a criar novas imagens para revisitar a beleza do momento no Museu.

 

Visita Oficina “O meu quadro mais precioso”
24 março (domingo), 10h30

Público | Famílias (com crianças a partir dos 10 anos)
Preço | 10 Euros (gratuito para crianças com idade inferior a 12 anos)
Oficina orientada pela Associação Compassio
Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

O Museu tem várias coleções que retratam diferentes expressões artísticas que nos guiam pelo tempo, nos transportam por diferentes latitudes culturais, com outros hábitos, outros costumes, outros olhares sobre o estético e a forma de se representar.
Nesta visita-oficina debruçamo-nos sobre a pintura e sobre o que a mesma nos transmite, nos conta, e nos faz sentir. Partindo da observação e reflexão, construímos histórias do dia-a-dia que irão ter novos títulos, novos autores, novas personagens. Viajamos para outras paisagens com uma obra simbólica passada da caneta para o papel. Uma atividade desenvolvida pela Associação Compassio.

Visitas | Março

Público
Jovens e adultos

Duração
50 minutos

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Visita Orientada Pintura de flores, aves e costumes nórdicos
1 março (sexta), 11h00
Público | Geral
Preço | Bilhete de Entrada no Museu

Tomando como ponto de partida uma Merenda ao ar livre, tema popular que fazia eco das famosas “bambochatas flamengas”, vamos ao encontro da pintura dos Países-Baixos através de algumas das melhores obras dos Museus do Porto.

 

Visita Incógnita
3 março (domingo), 11h00
Público | Geral
Preço | Gratuita

O Museu Nacional Soares dos Reis promove mensalmente uma visita orientada, com tema incógnito. Os participantes são desafiados a explorar o Museu e as suas coleções, descobrindo outras narrativas e outros espaços.

 

Visita Orientada à Exposição «Paisagem»
8 março (sexta), 11h00
Público | Geral
Preço | Gratuita

A exposição apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra, por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX. Esta visita será orientada por Rui Pinheiro.

 

Visita Orientada Uma leitura histórica do Museu a partir das suas coleções
8 março (sexta), 15h00
Público | Geral
Preço | Bilhete de Entrada no Museu

A história do Museu Nacional Soares dos Reis cruza-se com diversos acontecimentos políticos, sociais e culturais de Portugal dos últimos 190 anos. Nesta visita estabelece-se uma relação entre as obras e os artistas representados na Exposição de Longa Duração e esses acontecimentos, numa cronologia que se cruza também com a história do próprio edifício onde o MNSR se encontra instalado.

 

Visita Orientada à Exposição «Paisagem»
15 março (sexta), 11h00
Público | Geral
Preço | Gratuita

A exposição apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra, por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX. Esta visita será orientada por Maria Carneiro.

  

Visita Orientada Escultores de Gaia no Museu: de Soares dos Reis a Diogo de Macedo
15 março (sexta), 15h00
Público | Geral
Preço | Bilhete de Entrada no Museu

Os escultores Soares dos Reis e Teixeira Lopes são os primeiros elos de uma cadeia que se estende ao longo do séc. XX. Nesta linha de sucessão entram os nomes de Augusto Santo, Fernandes de Sá, António de Azevedo e Diogo de Macedo, entre outros artistas de Gaia formados na Escola de Belas-Artes do Porto.

 

Visita Orientada Artistas mulheres, poesia e liberdade
21 março (quinta), 15h00
Público | Geral (maiores de 12 anos)
Preço | Gratuita

Para as artistas representadas na exposição de longa duração do MNSR, ser mulher não foi uma condição limitadora à sua afirmação e reconhecimento num mundo de domínio maioritariamente masculino. As obras, vivências e percursos destas artistas, nascidas entre os séculos XVII e XX, são o ponto de partida para uma visita que se completa com poesia (neste seu Dia Mundial) assinada por mulheres que viveram na mesma época, em circunstâncias similares.
A partir da contemplação de peças de Josefa d’Óbidos, Francisca de Almeida Furtado, Maria da Glória Ribeiro, Sofia e Aurélia de Souza, Sarah Afonso e Irene Vilar e das circunstâncias em que trabalharam, faz-se a ligação a poetas como Soror Maria do Céu, Antónia Pusich, Marta Câmara, Judith Teixeira, Maria O’Neil, Maria Osswald e Sophia de Mello Breyner.

 

Visita Orientada Escultura devocional do século XIII ao século XVIII
22 março (sexta), 11h00
Público | Geral
Entrada | Bilhete de Entrada no Museu

De diferentes épocas, proveniências e materiais é a escultura que vamos observar. Descontextualizada do espaço original, a sua história interliga-se com a história do museu. Nesta visita procuramos desvendar a origem e a criação destas esculturas, em tempos ligadas a espaços de devoção.

Oficina ‘Visitar Pousão’

Público | Famílias

 

Preço | Gratuita

 

Oficina orientada pelo Serviço de Educação

 

Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

A partir da obra de Henrique Pousão na exposição de longa duração, a proposta é explorar as infinitas possibilidades de uma composição plástica. Descobrir como a cor, as formas, a luz e os planos nos convidam a entrar na obra. Registar o “vivido in loco” num breve exercício de aguarela pintado na cerca, no jardim ou na oficina.

 

No próximo domingo, dia 25 fevereiro, pelas 10h30, irá decorrer uma oficina para famílias inspirada na obra de Henrique Pousão. Inscrições a decorrer.

Visitas Orientadas à Exposição Paisagem

Visitas Orientadas à Exposição Paisagem

22 e 29 fev, 18h00

 

Público
Jovens e adultos

Duração
50 minutos

Entrada
Gratuita

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Com curadoria de Rui Pinheiro, a exposição Paisagem apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra, por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX.

 

Nos próximos dias 22 e 29 fevereiro, pelas 18 horas, serão realizadas visitas a esta exposição, orientadas pelo curador Rui Pinheiro e por Maria Carneiro (familiar de José Zagalo Ilharco), respetivamente. Inscrições a decorrer.

Atividades AMNSR | Fevereiro

Calendário de Atividades
Exclusivo para Sócios

do Círculo Dr. José Figueiredo
Amigos do Museu Nacional Soares dos Reis

 

Inscrições aqui

Curso A Natureza Ilustrada
2, 9, 16 e 23 fev, 10h30 /13h00 e 14h30/17h00, sexta

Ilustrar significa iluminar, esclarecer, dar a conhecer factos e conceitos da Ciências. Independentemente da forma como uma ilustração científica possa ser apreciada, importa referir os objetivos que guiaram a sua conceção: atrair, informar, descrever, explicar, sensibilizar, transmitir um facto ou conceito científico, com honestidade. Este 1º Módulo da Ilustração Científica, incide na aprendizagem das técnicas clássicas do desenho, nomeadamente grafite sobre papel e carvão composto. Pretende-se a produção de ilustrações monocromáticas (preto e branco) pelos participantes, dando relevo à estrutura e volumetria dos objetos representados.

Local Serviço de Educação
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Curso orientado
por Jorge Coutinho
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

 

Visita Orientada Uma casa incomum – a Casa-Museu Fernando de Castro
3 fev, 11h00, sábado

A Casa-Museu Fernando de Castro foi a residência de uma família de colecionadores dedicados às artes ornamentais, torêutica, escultura e pintura. Coube à última herdeira, Maria da Luz de Araújo Castro, fazer a doação ao Estado do imóvel e recheio cumprindo postumamente o desejo do seu irmão, Fernando de Castro, em fundar um museu público. Por decreto de 15 de dezembro de 1951 foi classificada a CMFC como anexo do Museu Nacional de Soares dos Reis. A decoração interior da Casa-Museu é dominada por um ambiente revivalista, onde sobressai o trabalho da talha e grande profusão de arte sacra transmitindo ao espaço um certo espírito de antiquário, em acerto de gosto com o culto dos estilos nacionais e das antiguidades nos finais do século XIX.

Local Casa-Museu Fernando de Castro
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Ana Mântua
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

 

Visita Orientada Os móveis falam do seu tempo
10 fev, 11h00, sábado

Os móveis, criados para satisfazer as exigências de diferentes clientelas de origem doméstica ou conventual, para além de refletirem a estética, o gosto da época em que foram realizados, revelam também hábitos e vivências do seu tempo. Enquanto em alguns podemos ainda rever práticas do nosso quotidiano, noutros a sua função e consequentemente a sua forma, foi completamente extinta. Os móveis da Exposição de Longa Duração do Museu permitem seguir um percurso de vivências da sociedade e práticas da utilização do mobiliário entre os séculos XVI e o século XVIII.

Local Galerias do Museu
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Paula Oliveira
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

 

Visita Orientada Escultores de Gaia no Museu: de Soares dos Reis a Diogo de Macedo
17 fev, 11h00, sábado

Os escultores Soares dos Reis e Teixeira Lopes são os primeiros elos de uma cadeia que se estende ao longo do séc. XX. Nesta linha de sucessão entram os nomes de Augusto Santo, Fernandes de Sá, António de Azevedo e Diogo de Macedo, entre outros artistas de Gaia, formados na Escola de Belas-Artes do Porto.

Local Galerias do Museu
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Paula Santos Triães
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

 

Visita Orientada Artur Loureiro – Um pintor português no encontro dos séculos
24 fev, 10h30, sábado

Em 1901 Artur Loureiro regressa ao Porto, depois de mais de 20 anos de permanência no estrangeiro, 16 dos quais passados na Austrália, protagonizando com isso um percurso de vida fora do comum. Tido como responsável pela introdução do movimento simbolista no contexto artístico australiano, Loureiro não abandonaria nunca o naturalismo de princípio. Nos antípodas caminhara, sem o saber, a par dos artistas do seu País, vivendo à distância um mesmo universo de contradições, o mesmo que se manteria no seu regresso ao Porto, entre a pintura que ora parece buscar a absoluta verdade do “natural”, ora se embebe de emoções e estados de alma.

Local Galerias do Museu
Exclusiva para os membros do CDJF – Amigos do Museu
Visita orientada
por Ana Paula Machado
Inscrições amigosdomnsr@gmail.com

Faça parte dos Amigos do Museu

Beneficie de vantagens exclusivas. Saiba mais aqui.

Lançamento do Catálogo da Exposição Teresa Gonçalves Lobo e Domingos Sequeira

Lançamento do Catálogo da Exposição Teresa Gonçalves Lobo e Domingos Sequeira
3 fev, 16h00

 

Com a presença de Teresa Gonçalves Lobo e do Curador da Exposição, Bernardo Pinto de Almeida.

 

No Museu Nacional Soares dos Reis

A Sessão de Lançamento do Catálogo da Exposição Teresa Gonçalves Lobo e Domingos Sequeira – um diálogo no tempo vai decorrer, no próximo sábado, dia 3 fevereiro, pelas 16 horas, no Museu Nacional Soares dos Reis, contando com a presença de Teresa Gonçalves Lobo e do Curador da Exposição, Bernardo Pinto de Almeida.

 

Inaugurada no passado dia 27 janeiro, a mostra coloca em diálogo a nova exposição de desenhos de Teresa Gonçalves com obras de Domingos Sequeira, o grande artista português da transição do século XVIII para XIX.

 

No diálogo que sustenta esta exposição, percebe-se como uma semelhante aproximação ao desenho e ao modo do riscar, acontece nas obras destes dois artistas apesar da longa distância no tempo que os separa, mas cujo propósito de fazer nascer a forma desse uso do risco os aproxima.

Visitas | Fevereiro

Público
Jovens e adultos

Duração
50 minutos

Inscrições
Formulário online (até 48 horas de antecedência)

Visita Orientada Fontes e chafarizes na coleção do museu
2 fevereiro (sexta), 11h00
Público | Geral
Preço | Bilhete de entrada no MNSR

A água, elemento essencial à vida, inspirou a construção de estruturas e objetos para a sua distribuição nas cidades e vilas, que marcaram o urbanismo e a vivência nas cidades.
Nesta visita vamos conhecer algumas estátuas fontenárias, que pertenceram a fontes desparecidas da cidade do Porto, entre outros objetos e representações, na exposição de longa-duração do Museu Nacional Soares dos Reis.

 

Visita Incógnita
4 fevereiro (domingo), 11h00
Público | Geral
Preço | Gratuita

O Museu Nacional Soares dos Reis promove mensalmente uma visita orientada, com tema incógnito. Os participantes são desafiados a explorar o Museu e as suas coleções, descobrindo outras narrativas e outros espaços.

 

Visita Orientada Artes decorativas, suas proveniências e os seus colecionadores
8 fevereiro (quinta), 15h00
Público | Geral
Preço | Bilhete de entrada no MNSR

No processo de constituição do acervo atualmente à guarda do MNSR, as artes decorativas tiveram um papel fundamental a partir da década de 1940, quando o museu foi transferido para o Palácio dos Carrancas. Ao longo da visita, aborda-se este passado, relacionando-se a história do museu com as artes decorativas e o colecionismo no Porto.

 

Visita Orientada Ao encontro do ensino artístico nas coleções do Museu
16 fevereiro (sexta), 15h00
Público | Geral
Preço | Bilhete de entrada no MNSR

Falar do ensino artístico no Porto implica fazer uma viagem no tempo que se inicia século XVIII com a criação da Aula de Debuxo e Desenho, em 1779, passando pela Aula de Desenho da Academia Real de Marinha e Comércio, em 1803, dirigida por Vieira Portuense até à criação da Academia Portuense de Belas-Artes em 1836, mais tarde Escola superior de Belas-Artes, em 1950. Uma visita que pretende dar a conhecer alguns aspetos da história do Ensino Artístico a partir das coleções do Museu, identificando as várias gerações de artísticas.

 

Visita Orientada Henrique Pousão – Do Alentejo à Campânia
22 fevereiro (quinta), 15h00
Público | Geral
Preço | Bilhete de entrada no MNSR

Nascido no Alentejo, Henrique Pousão viveria, no breve trecho de tempo que foi o da sua vida, entre o Porto, Paris, Roma, Nápoles e Capri, confrontando-se com as afinidades e divergências da luz desses diferentes lugares e registando-as na sua pintura.

 

Visita Orientada à Exposição «Paisagem»
22 fevereiro (quinta), 18h00
Público | Geral
Preço | Gratuita

A exposição apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra e por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX. Esta visita será orientada por Rui Pinheiro.

 

Visita Orientada à Exposição «Paisagem»
29 fevereiro (quinta), 18h00
Público | Geral
Preço | Gratuita

Com curadoria de Rui Pinheiro, a exposição apresenta uma seleção de fotografias do arquivo familiar de José Zagalo Ilharco, fotógrafo amador que deixou relevante obra e por poucos conhecida, num valioso testemunho de paisagens de Portugal do final do século XIX e início do século XX. Esta visita será orientada por Maria Carneiro.

Oficinas | Fevereiro

Oficina Obras, histórias e dobras
4 fevereiro (domingo), 10h30/12h30

Público | Famílias (crianças a partir dos 6 anos)
Preço | Gratuita
Oficina orientada pelo Serviço de Educação
Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

A 23 de setembro de 1543 os portugueses chegaram ao Japão, aportando na ilha de Tanegashima, no sul do Japão. Os japoneses nunca tinham visto pessoas de olhos redondos, narizes compridos e cabelos castanhos. Provavelmente, também se divertiram com as calças bufantes dos forasteiros, na moda em Portugal.
Nesta visita oficina, e partindo da exploração dos Biombos de Namban, ficaremos a conhecer alguns factos relacionados com o encontro de duas culturas diferentes e as influências recíprocas, partindo daí para a construção de um barco através da arte de dobrar papel.

 

Oficina Marionetas de Papel – Caixa das Histórias Ensarilhadas
11 fevereiro (domingo), 10h30/13h00

Público | Famílias (crianças a partir dos 6 anos)
Preço | 15 Euros por criança (gratuito para os acompanhantes)
Oficina orientada pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora (Filipa Mesquita)
Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

O Teatro de Papel surgiu no século XVIII e serviu desde sempre como elemento de jogo teatral, de modo a permitir a narrativa de histórias através das suas figuras recortadas.
Nesta oficina, dinamizada pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora, partimos de histórias e criamos o nosso teatro e as personagens, dando espaço à improvisação e à teatralização das mesmas. Cada participante cria o seu teatro bem como um conjunto de figuras que, no final, levará consigo para dar continuidade à exploração.

 

Oficina Imaginários coletivos: Ruturas
18 fevereiro (domingo), 10h30/12h30

Público | Famílias (crianças a partir dos 6 anos)
Preço | 20 Euros (1 criança e 1 acompanhante)
Oficina orientada pelo Balleteatro (Sónia Cunha)
Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

A rutura transforma-nos, faz-nos viajar para territórios desconhecidos. O corpo que dança estimula essa mudança, social ou artisticamente, impulsiona novos hábitos e relações de estar no mundo. E porque não experimentarmos e compreendermos algumas ruturas, ocupando os nossos corpos com movimentos e linguagens, que nos fazem explorar outros imaginários coletivos? Uma produção Balleteatro.

 

Oficina Visitar Pousão
25 fevereiro (domingo), 10h30/12h30

Público | Famílias
Preço | Gratuita
Oficina orientada pelo Serviço de Educação
Inscrições se@mnsr.dgpc.pt (até 48 horas de antecedência)

A partir da obra de Henrique Pousão na exposição de longa duração, a proposta é explorar as infinitas possibilidades de uma composição plástica. Descobrir como a cor, as formas, a luz e os planos nos convidam a entrar na obra. Registar o “vivido in loco” num breve exercício de aguarela pintado na cerca no jardim ou na oficina.

Apresentação do livro “Deus na Escuridão”

Apresentação do livro “Deus na Escuridão”
29 fev, 19h00

 

No Auditório do Museu Nacional Soares dos Reis

Entrada livre com inscrição prévia até 27 fev para o email comunicacao@mnsr.dgpc.pt

Sessão de apresentação do mais recente livro de Valter Hugo Mãe, “Deus na Escuridão”, contando com a presença de Albuquerque Mendes, Rosa Alice Branco e Rui Couceiro.

 

Este livro explora a ideia de que amar é sempre um sentimento que se exerce na escuridão. Uma aposta sem garantia que se pode tornar absoluta. A dúvida está em saber se os irmãos podem amar como as mães que, por sua vez, amam como Deus.

 

Passada na ilha da Madeira, esta é a história de dois irmãos e da necessidade de cuidar de alguém. Delicado e profundo, Deus Na Escuridão é um manifesto de lealdade e resiliência.

Oficina Imaginários Coletivos: Ruturas

Oficina Imaginários coletivos: Ruturas
18 fev, 10h30/12h30

 

Público-alvo Famílias (crianças a partir dos 6 anos)

Entrada 20 Euros (1 criança e 1 acompanhante)

Inscrições se@mnsr.dgpc.pt

A rutura transforma-nos, faz-nos viajar para territórios desconhecidos.

 

O corpo que dança estimula essa mudança, social ou artisticamente, impulsiona novos hábitos e relações de estar no mundo.

 

E porque não experimentarmos e compreendermos algumas ruturas, ocupando os nossos corpos com movimentos e linguagens, que nos fazem explorar outros imaginários coletivos?

 

Uma produção da Balleteatro.

Oficina Caixa das Histórias Ensarilhadas

Oficina Marionetas de Papel – Caixa das Histórias Ensarilhadas

11 fev, 10h30/13h00

 

Público-alvo Famílias (crianças a partir dos 4 anos)

Entrada 15 Euros por criança (gratuito para os acompanhantes)

Inscrições se@mnsr.dgpc.pt

O Teatro de Papel surgiu no século XVIII e serviu desde sempre como elemento de jogo teatral, de modo a permitir a narrativa de histórias através das suas figuras recortadas.

 

Nesta oficina, dinamizada pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora, partimos de histórias e criamos o nosso teatro e as personagens, dando espaço à improvisação e à teatralização das mesmas.

 

Cada participante cria o seu teatro bem como um conjunto de figuras que, no final, levará consigo para dar continuidade à exploração.

×